Elizabeth é um território em constante construção. Há uma infinidade de servos, partes do seu corpo múltiplicado, escravos. Uma máquina que jamais para enquanto vive. Cada movimento, ação, ato necessita de auxilio, mas isto não a  torna mais frágil.

IMPOTENCIA +  REALEZA

– Cavalos

– Banho

– Alimentação

– Montagem (sistema para falar, declarações a Orlando)

– Amparo das partes que caem (pelhancas, rugas, pedaços, membros)

– Abertura dos olhos terríveis

– Sensualização Ciborgue

Anúncios